Conecte-se conosco

COLUNA - DIREITO & DEVERES

Como identificar um relacionamento abusivo?

Foto: Reprodução / Fonte: Correio Paraense

Para que uma relação possa ser saudável é essencial que nela exista respeito, confiança e desapego. Mesmo compromissado ninguém é dono do outro e não possui o direito de controlar a vida de seu parceiro(a).

Mas alguns homens insistem em serem extremamente controladores e ciumentos suprimindo o livre arbítrio de sua companheira ou impedindo que ela estude ou obtenha trabalho.

A Lei Maria da Penha nasceu para proteger todos os direitos humanos que a mulher é titular e garantir total autonomia e independência nas suas decisões e escolha de vida. Caberá ao homem o respeito, mesmo que não concorde, e apoio no exercício dos direitos fundamentais da mulher.

Assim, libertar-se de uma relação abusiva é essencial à felicidade da mulher. Nem sempre é fácil se enxergar numa relação abusiva. Mas o relacionamento abusivo possui algumas características que podem ajudar na identificação de uma relação que você deve sair. Vejamos 3 sinais que caracterizam o relacionamento abusivo.

1. Ele é ciumento

Ciúme excessivo não é “sinal de amor”. Se seu parceiro impede você de ter amizade; se incomoda sempre que vê você interagindo com alguém; acha que em todo lugar tem alguém dando em cima de você.

Se seu parceiro age assim saiba que isso não é normal e, muito menos, sinal de amor.

2. Ele quer controlar sua vida

Seu parceiro controla o seu dia a dia, quer saber o que você faz no trabalho? Tentar decidir se você vai trabalhar ou estudar? Opina, até impede, você de usar determinado tipo de roupa? Controla seu dinheiro e determina com o que você irá gastar?

Querer controlar todos os detalhes da vida da parceira é um comportamento clássico dentro de uma relação abusiva.

3. Afastamento de outras pessoas

Se o homem impede você de ter amizades sob a justificativa de ser má influência, dá em cima de você, ou qualquer outra desculpa para impedir você de ter amizades, é provável que esse seja um relacionamento abusivo. O fato é que ele vai exigindo que a companheira se afaste das pessoas mais próximas. O objetivo é que você passe a depender somente dele.

Como se libertar de um relacionamento abusivo?

Alguns passos são muito importantes na hora sair de um relacionamento abusivo:

Converse com uma pessoa de confiança. Peça ajuda. Converse com um parente, amiga ou um profissional que possa lhe ajudar. Ao externalizar o problema será mais fácil de aceitar e pensar em medidas que devem ser tomadas.

Atenção: seja cautelosa, pode ser que seu parceiro se torne agressivo ao notar que você está tentando se libertar da relação. Evite ficar dizendo que “vai deixá-lo(a)”.

Fortaleça sua autoconfiança: tenha total certeza que você deve se livrar desse relacionamento. Não permita que as ofensas de seu parceiro tire sua determinação. Foque nas suas qualidades e lembre-se de que você tem ao seu redor pessoas que te amam e te apoiam.

Termine o relacionamento: a orientação não poderia ser outra. Um relacionamento abusivo não deve ser mantido. E esse, com certeza, é o passo mais difícil, mas é também o mais libertador.

Por fim, não se culpe por “um dia ter entrado em um relacionamento abusivo”. A “culpa” não é sua. Pense apenas no que você deve fazer daqui para frente.

Samuel Medeiros – Advogado, Professor Acadêmico, Especialista em Direito das Famílias pela Universidade Cândido Mendes, Mestrando em Propriedade Intelectual pelo Instituto Federal do Pará, Sócio do Simões Bentes & Medeiros Advocacia Internacional, e-mail: Samuel_medeiros@ymail.com

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.