Conecte-se conosco

Em carta, professora conscientiza seus parentes sobre a importância da vacinação

Foto: Silvio Garrido / Fonte: Correio Paraense

BOA AÇÃO

Em carta, professora conscientiza seus parentes sobre a importância da vacinação

Não arrisque a sua saúde e nem a dos outros – tome a vacina!

O alerta é da professora da rede pública, Elisângela Oliveira, que está com o pai hospitalizado em decorrência da Covid-19.  Ela escreveu uma carta aos familiares para conscientiza-los e realçar a importância da vacinação para todos – pros amigos, pros familiares, pros seus e ao próximo.

Amor ao próximo-convertido

Família, me exponho pouco nas mídias sociais, mas vou socializar o que está acontecendo com o papai e dar visibilidade para sofrimento da família dele e a angustia de todos nós que estamos tentando ajudar no que for possível, nesse momento.

O papai foi diagnosticado com Covid no dia 18/03, mas já apresentava os sintomas desde o início do mês e foi relutante a buscar o atendimento médico adequado logo nos primeiros sintomas, por vários motivos entre eles, o aumento gigante na demanda de consultas, deixando o atendimento muito lento e bastante perigoso a todos pelo tempo de exposição, a falta de preparo desses espaços que acabam se transformando em locais de alto
risco de contaminação devido ao alto nível de transmissibilidade do vírus. No entanto, essa demora para o tratamento adequado agravou mais o quadro de saúde dele que foi internado às pressas na última sexta na UPA da CN8 depois de ter percorrido por vários hospitais que não o atenderam por estar lotados. Mas é importante ressaltar, que ele passou antes pela
UPA do Júlia Seffer, onde a médica o encaminhou para a internação mediata, após constatar o comprometimento dos pulmões e, como a Unidade não tinha nenhuma ambulância disponível para o translado, os familiares o levaram em condução própria até o hospital indicado que também não tinha leitos.

Como o estado dele visivelmente piorava, levaram para UPA da CN8 onde ficou internado à espera de leito. Somente na segunda (22/03), conseguiram transferência para o Hospital de Clinicas de Ananindeua – HCA – e agora está recebendo o tratamento mais adequado. O quadro de saúde é estável, apesar de estar com 50% a 75% do pulmão comprometido, não apresentou anemia, está consciente, consegue caminhar e fazer as necessidades biológicas sem o auxílio de terceiros, a respiração ainda é fraca, mas não está dependente do oxigênio que ainda usa em momentos intervalares. Quanto à infecção pulmonar, os médicos estão tratando com antibióticos e informaram, no boletim de ontem, que o papai está respondendo bem e, conforme a enfermeira, se ele continuar reagindo assim, logo terá alta médica para continuar o tratamento em casa. O que aguardamos com ansiedade e muita esperança.

Mas o que muitos não sabem o quão foi angustiante ficar sem contato, não ter acesso à informação sobre a saúde dele enquanto estava na UPA, a impossibilidade de informá-lo como todos estavam preocupados e se movimentando para acelerar a internação e a incerteza de quando conseguiria o leito. Graças a Deus, ele conseguiu e agradeço aos amigos
que se manifestaram, mas acredito mesmo que, nesse momento, o leito surgiu porque alguém perdeu a batalha e que muitos ainda estão na luta por um leito. Essa doença miserável veio para mostrar a fragilidade dos homens. Seja pobre ou rico, anônimo ou famoso, do povo ou influente está levando sem distinção, sem prévia seleção, apenas imprime o fim a vidas.

A covid mata direta e indiretamente, porque nem todos morrem de covid, mas bate o desespero quando a pessoa precisa de atendimento específico e não há, porque os hospitais estão lotados, os médicos exaustos, os insumos médicos necessários para intubação estão em falta e não há a quem mais recorrer e você nem pode consolar a pessoa em sofrimento…. Quantas famílias estão enlutadas!

Não desligue a tevê para não ouvir mais sobre a covid, isso não vai diminuir os casos. Não fale que as pessoas têm pouca fé, isso não vai diminuir a dor, não vá as redes sociais dizer que isso é perseguição ao presidente e que os dados são mentirosos, isso não vai reduzir a fila pela espera de leitos e o número de óbito. Já passamos o tempo das diferenças políticas, estamos vivendo um momento de calamidade de saúde pública, negar a necessidade de medidas preventivas: uso de máscara, distanciamento social e sim VACINAÇÃO, não é mais um posicionamento político-ideológico, é CRIME. Se não for por você, então que seja por quem você ama, vacine-se, convença aqueles que ainda são relutantes.

Se alguém lhe disser que não vai se vacinar, porque já está vacinado por Deus, diga que todos nós estamos, porque Deus é misericordioso e pai de todos, mas ele deu a inteligência foi para usarmos e que a morte é certa para todos nós. Como vamos viver depende das escolhas que fazemos. E mais ainda, quem morre por Covid, nem pode ser velado pelos familiares, nem vestido, cuidado, simplesmente é dispensado como uma massa contaminada.

Pense em tudo isso e deixo aqui o meu relato como um apelo para ajudarmos a reduzir esses números. Termino esse texto gigantesco com a declaração de um médico, muito pertinente para aqueles que ainda pensam que covid é só uma gripezinha, que cloroquina dá jeito, que tudo mais é mi…mi e perseguição política: a covid está descontrolada e mata, faça o isolamento social, porque sempre há um lugarzinho na festa; nos hospitais, não há mais.

Por: Elisângela Oliveira

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top