Conecte-se conosco

CURIOSIDADES

Pane global | Você e seu negócio cada vez mais dependentes das Redes Sociais

Foto: Reprodução / Fonte: Correio Paraense

Eu e você percebemos que estamos cada vez mais dependentes do digital e das facilidades que as redes sociais nos proporcionam. A falha ocorrida nas redes socais na última segunda-feira (04/10) gerol pânico na vida digital de proprietários de pequenas empresas, políticos, trabalhadores humanitários, afetou a cotação das ações negociadas em Bolsas de Valores dos cinco Continentes dentre outras consequências.

Após quase sete horas de interrupção dos serviços do Facebook e outros aplicativos, como o Instagram e WhatsApp, Facebook Messenger e Oculus — a maior das redes sociais em operação “parou o mundo”, preocupação e a inevitável reflexão: qual o nível de dependência pessoas e negócios têm em suas relações com as Big Techs? Durante o “apagão”, o mundo experimentou o gostinho da vida sem o Facebook e seus aplicativos. A gente fica apreensivo porque é um meio de comunicação comum e acessível a todas pessoas, o que demonstra a nossa dependência. O ideal é que nós tenhamos sempre alternativas para esses momentos

Dependência

Segundo os especialistas, atualmente os diferentes negócios – grandes e pequenos – são afetados com esse tipo de pane nas redes sociais porque as pessoas estão cada vez mais dependentes da tecnologia. Por isso, a alternativa é ter outros canais de atendimento e comunicação. 

“A gente percebe o quão dependente a população e o comércio estão das redes sociais. Na verdade, elas não podem ficar tão reféns do WhatsApp. As empresas têm que ter outros canais de atendimento, porque não estamos livres de que isso volte a acontecer, e mais de uma opção de controle que dê acesso ao cliente, como um cadastro, por exemplo. Porque numa situação como essa, poderia-se disparar um e-mail relatando sobre o problema aos clientes”, diz Vaníria.

“Nossa ligação umbilical com as redes sociais acaba dificultando a comunicação. A nossa vida (tecnológica) está dependente de poucas corporações. Essa queda pode servir de aviso para as pessoas pensarem em um plano B, como resgatar a velha agenda de contatos”, orienta Carlos Costa.

O tempo é algo que não podemos nos dar ao luxo de desperdiçar. Então, o que você acha de planejar como usá-lo, assim como faria com dinheiro? Primeiro, escreva quanto tempo acha que seria razoável gastar numa rede social. Depois, veja como se saiu durante um mês. Se você ultrapassou sua meta, faça ajustes onde necessário.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.