Conecte-se conosco
Foto: Ricardo Amanajás / Ag. Pará / Fonte: Agência Pará

SAÚDE

Usina de oxigênio entra em operação no Hospital de Campanha de Belém

Já está em funcionamento, desde a tarde desta sexta-feira (2), a usina de oxigênio instalada no Hospital de Campanha de Belém, que funciona n Hangar – Centro de Convenções. “Essa é mais uma estratégia do governo do Estado, por meio da Sespa (Secretaria de Estado de Saúde Pública), para garantir o atendimento aos pacientes que estão internados no Hospital de Campanha. Essa unidade é, atualmente, a referência para os atendimentos de Covid no Estado, por isso é de extrema importância que reforcemos esta estrutura”, afirmou o titular da Sespa, Rômulo Rodovalho.

A usina, que chegou à capital paraense na última segunda-feira (29), tem capacidade para produção diária de 2.400 metros cúbicos de oxigênio, o equivalente ao abastecimento de 240 cilindros do gás/dia. O insumo é essencial para o atendimento de casos graves da doença. A usina de oxigênio começou a ser instalada na última quarta-feira (31).

“A usina de oxigênio do Hospital de Campanha chega em um momento crucial, com o agravamento da crise em âmbito nacional e um aumento significativo de casos da Covid-19 em todo o País. Vale ressaltar que o Hospital de Campanha de Belém não registrou falta de oxigênio para atendimento aos pacientes. Mas garantir a autossuficiência da unidade neste momento é, sem dúvida, um diferencial que traz segurança para a operação da unidade, que atende pacientes de todas as regiões do Pará. Seguiremos atuando com muita dedicação, seriedade e humanização para salvar vidas”, informou Rogério Kuntz, diretor Operacional da Pró-Saúde no Pará, instituição que gerencia o Hospital de Campanha.

Instalação – O processo de instalação da usina envolveu mudanças na rede elétrica, que recebeu novo cabeamento de energia para suprir a necessidade da usina, a qual funcionará em tempo integral, abastecendo diretamente os leitos da unidade por meio de tubulação. A usina conta com importantes dispositivos de segurança, que garantem o abastecimento mesmo durante imprevistos. Por exemplo, caso ocorra queda de energia, dois tanques de oxigênio, que já atendiam a unidade e funcionam por pressão (independentemente de eletricidade), são acionados e voltam a operar, garantindo a continuidade do atendimento. 

Ao longo desta sexta-feira foram feitos os últimos testes para o funcionamento, que envolvem averiguação de pressão e simulação de queda de energia. Após esses procedimentos, a usina entrou em operação.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top