Conecte-se conosco

ECONOMIA PARAENSE

Investir no varejo pode ser uma alternativa à crise econômica

Em tempos de crise, os brasileiros apostam nas vendas diretas para incrementar a renda.

Foto: * Imagem reprodução / Fonte: Correio Paraense

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, muitos brasileiros viram suas fontes de renda diminuírem ou se esgotarem totalmente. Em um panorama desafiador e com mudanças significativas na receita e rotina dos cidadãos, muitos de nós precisou se reinventar.

Pesquisas apontam que 76% dos brasileiros afirmaram que foram obrigados a repensar suas carreiras no período pandêmico.

Explorar outras atividades às quais não se está habituado se tornou um desafio para quem estava determinado a não deixar o novo normal se transformar em ruína financeira e sem dúvidas, o varejo foi uma porta aberta para que muitas pessoas pudessem desviar da crise ou atravessá-la com dignidade.

Passado um ano desde o início da pandemia, um número significativo apostou no varejo como alternativa e alcançaram resultados positivos. É o caso de Tatiana Moraes, 27 anos, moradora da zona leste de São Paulo, que encontrou no varejo de jóias a solução para enfrentar esse novo panorama.

É fato que nada na vida se concretiza sem conhecimento e esforço e por isso, trouxemos o depoimento de Tatiana, compartilhando suas experiência e como conquistou estabilidade no ramo, seguido de algumas dicas e estratégias de gestão que podem ser valiosas para quem deseja empreender.

“Investir no varejo é investir em uma condição de realizar os próprios sonhos.”

“Tenho 27 anos e sou manicure desde os 17. Foram dez anos de aprendizado e dedicação à profissão que me ajudou a conquistar muita coisa. Há pelo menos três anos, vinha juntando dinheiro para dar um passo além na minha carreira: Alugar um espaço e abrir minha própria esmalteria.

Encontrei no meu bairro, situado na zona leste de São Paulo, o espaço ideal para que eu pudesse atender meus clientes como desejava e finalmente me tornar a dona do meu próprio negócio.

Porém, o inimaginável aconteceu e um novo vírus vindo da China contaminou o mundo inteiro e também o Brasil.

No início não dei a importância que merecia por não entender a gravidade do problema, mas logo a situação tomaria forma e o vírus afetaria drasticamente meus planos. A pandemia chegou em São Paulo, na zona leste, e chegou em mim, claro.

Com o início do isolamento social em março de 2020, as pessoas pararam de circular nas ruas e obviamente, o segmento da beleza foi duramente afetado e eu presenciei o pior cenário possível, onde o movimento caía drasticamente.

O impasse foi inevitável e começar meu negócio naquele momento seria uma loucura. Precisava pensar de que forma usaria o capital guardado para a abertura da esmalteria: Guardar o dinheiro até que a situação voltasse à normalidade (o que era impossível de se prever) ou investir em outra atividade durante esse tempo?

Por benfeitoria do destino, uma das minhas clientes do antigo salão trabalhava como revendedora de jóias e durante uma conversa, ela me contou que mesmo diante da pandemia, suas vendas iam bem e que eu deveria me aventurar nessa atividade.

Após dias de reflexão, optei pelo caminho alternativo, pois ficar com dinheiro guardado nunca é uma boa opção. Hoje afirmo com tranquilidade que esta foi a decisão mais correta que fiz na vida.

Em um primeiro momento cheguei a pensar que não daria certo, mas logo resolvi encarar o desafio com coragem e o resultado foi justamente o contrário, eu me adaptei super bem!

Me concentrei em pesquisar e entender um pouco melhor o universo das jóias, investi uma porcentagem do dinheiro do que tinha guardado em uma primeira remessa de peças para experimentar como seria vender.

O próximo passo foi procurar clientes em potencial, e mais uma vez o destino foi meu aliado. Sempre digo que quando há determinação, o universo conspira ao seu favor, e como eu já trabalhava como manicure, conhecia o estilo de jóias que minhas clientes gostavam.

Comecei a usar minha agenda de clientes para oferecer as peças e logo no primeiro mês já tive um retorno além do esperado. Com o lucro obtido, comprei mais peças,como anéis, berloques…  e também comecei a usar minhas redes sociais pessoais para divulgação.

Para minha total surpresa e felicidade, na terceira remessa que comprei para vender, meus rendimentos já tinham superado qualquer salário que já recebi como manicure e hoje o varejo se tornou a minha principal e única fonte de renda.

Meu recado para quem cogita ser uma revendedora de jóias, é que se dedique a estudar as dinâmicas e tendências do mercado, aliadas à criatividade e muita dedicação. Enfatizo que todo esforço foi recompensado e hoje incentivo outras pessoas a correrem atrás de seus próprios sonhos.”

3 dicas para iniciar com o pé direito!

Segundo o IBGE, em agosto de 2020 o setor varejista atingiu o maior patamar de vendas desde o último recorde registrado em 2014. O segmento já alcançou e continua alcançando números importantes, mas para ser um bom varejista não basta apenas comprar e vender.

Para que você não fique de fora dos excelentes resultados que o varejo vem apresentando, elencamos 3 dicas que irão te ajudar a iniciar seu novo empreendimento com o pé direito:

1 – Divulgação

Tenha em mente quais são os públicos alvo do seu negócio e invista em formas de divulgação para cada um desses públicos. Lembre-se, a forma de se comunicar com um jovem de 20 anos que acessa redes sociais, não pode ser a mesma com um idoso, portanto, procure se adequar aos diferentes nichos de consumidor.

2 – Vendas On-line

Não é necessário dizer que a pandemia aumentou significativamente as vendas on-line. Procure plataformas e softwares que vão inserir a sua empresa de forma eficiente no comércio virtual e lembre-se de que as vendas presenciais e virtuais devem se complementar, e não concorrer entre si.

3 – Gestão Estratégica

Ter um bom conhecimento do mercado no qual se está inserido te deixará sempre um passo à frente, defina quais serão os próximos passos e considere as reais possibilidades de realizá-los. Com planejamento e sabedoria você será capaz de surfar nas ondas de bonança ou se esquivar das eventuais tendências negativas.

A pandemia já fez aniversário, você não pode ficar esperando.

Os dados nos mostram uma avaliação positiva do setor varejista no Brasil e exemplos como o de Tatiana mostram que com criatividade, determinação e coragem é possível começar do zero e conquistar novos horizontes em tempos difíceis.

Por: Julia Ximenes




Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.