Conecte-se conosco

BRASIL

Denunciar a violência contra o idoso é fundamental, afirma a SBGG

Para a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, é papel de qualquer cidadão denunciar qualquer tipo de agressão que testemunhar. Sociedade também alerta sobre os diferentes tipos de violência

Publicadas

sobre

No próximo dia 15 de junho é celebrado o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. De acordo com dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), nos três primeiros meses de 2024, no Brasil, foram notificadas 42.995 denúncias de violações contra pessoas de 60 anos ou mais. Número maior se comparado ao mesmo período de 2023, com 33.546 registros. A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) chama a atenção para a importância da denúncia e para as diferentes formas de violência a que esta população está exposta.


A violência contra a pessoa idosa é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como “um ato único, repetido ou a falta de ação apropriada, ocorrendo em qualquer relacionamento em que exista uma expectativa de confiança que cause danos ou sofrimento a uma pessoa idosa”. A presidente do Departamento de Gerontologia da SBGG, Dra. Naira Lemos, ressalta que todo tipo de agressão é grave, mas faz um alerta à violência psicológica que, muitas vezes, é feita de maneira sutil e contínua. “Ela é muito velada. As pessoas idosas não relatam para os profissionais de saúde que estão sofrendo abuso emocional, pois possuem vergonha ou receio de denunciar o indivíduo que está maltratando. Nós não sabemos, até que a pessoa verbalize.”

Ademais, Dra. Naira relata os sinais que uma pessoa idosa pode apresentar quando está em uma situação de vulnerabilidade, em decorrência das agressões sofridas: “a violência física é possível identificar na consulta, quando o idoso aparece com manchas e hematomas. Porém, há outros sinais que podemos ficar atentos, por exemplo, o isolamento social e o medo de falar, quando estão perto das pessoas que os maltratam, principalmente pelo medo da represália”.

Para a presidente do departamento de Gerontologia da SBGG, é extremamente necessário melhorar a comunicação com as pessoas idosas, para deixá-los tranquilos e à vontade de falar sobre os casos de violência. “É preciso evitar também a infantilização. Tratar como `vozinho`, por exemplo, que deve ser poupado de alguns assuntos, deixa o idoso humilhado. Isso torna a comunicação mais difícil”, revela, ao comentar que é importante estabelecer uma comunicação saudável para que o idoso se sinta seguro.


Denunciar casos de violência

Se você presenciar ou tiver conhecimento de algum um caso de violência contra uma pessoa idosa, denuncie. Você pode realizar a denúncia pelo Disque 100, pelo Centro de Atendimento à Mulher (Ligue 180), pelo Conselho Municipal do Idoso da sua cidade ou pela Polícia Militar do seu Estado (Ligue 190).

Sobre a SBGG

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), fundada em 16 de maio de 1961, é uma associação civil sem fins lucrativos que tem como principal objetivo congregar médicos e outros profissionais de nível superior que se interessem pela Geriatria e Gerontologia, estimulando e apoiando o desenvolvimento e a divulgação do conhecimento científico na área do envelhecimento. Além disso, visa promover o aprimoramento e a capacitação permanente dos seus associados.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.