Conecte-se conosco

MUNICIPIOS

Madeireiras de Santarém são investigadas por suposto crime de falsidade ideológica

Foto: Semas / Ascom / Fonte: O Estado Net

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) instaurou um procedimento investigatório criminal para investigar um possível crime de falsidade ideológica praticado por empresas que atuam no setor madeireiro em Santarém, no oeste do Pará. 

De acordo com o que apurou a reportagem do Portal OESTADONET, as empresas Madeireira Rancho da Cabocla Ltda., Paraíso Comércio e Exportação Ltda EPP, Distribuidora Ypê Ltda. ME, e E.V. Lima EM, por destinação de créditos virtuais de forma fraudulenta à empresa Sebastião Rocha Souza de Cascavel ME, por meio do Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora), da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e do Documento de Origem Florestal (DOF), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Sustentáveis (Ibama). 

A promotora de Justiça, Lílian Regina Furtado Braga, da 13ª Promotoria de Justiça de Santarém, assina o IPC n.º 010023-031/2021, cujo objetivo é investigar se houve o cometimento das empresas citadas no crime de falsidade ideológica cuja pena prevista é de até 5 anos de reclusão e multa, em caso de a falsidade ocorrer em documento público, e de até 3 anos, nos documentos particulares.

Além de ser citada no IPC n.º 010023-031/2021, a Madeireira Rancho da Cabocla também é alvo de outro procedimento investigatório criminal (n.º 010024-031/2021), que apura também o crime de falsidade ideológica por suposto repasse de créditos indevidos no volume de 151,731M³, por meio do sistema oficial de controle Sisflora/DOF.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.