Conecte-se conosco

FAMOSOS

Grupo de dança faz apresentação especial no Combú Reggae Fusion

Foto: Reprodução / Fonte: Correio Paraense

O Grupo de Dança Reggae de Salão faz apresentação especial nesta segunda-feira, 11/10, das 14h às 17h30, no Festival Combú Reggae Fusion no Restaurante Flor do Combú, com o objetivo de contribuir de forma decisiva para o crescimento da produção local através de micro e pequenos empreendedores e da formação de associações e cooperativas que impulsionam o trabalho de divulgação da produção local.  O espetáculo tem direção musical do DJ Vitor Pedra e do instrutor de Dança Eduardo Murvin .

Criado em 2013, a equipe é vinculado ao grupo cultural afro descendente Major Roots e retoma atividades das oficinas nas grandes quintas Reggae no Enjoy Pub (AV Pombal, 210 em frente à Praça Brasil)das , 18h às 19h, e  gradativamente o Projeto retorna na ativa nas Escolas e instituições culturais de Belém do Pará.

Sob a direção artística do DJ VP Roots e do professor Eduardo Murvin, os integrantes do grupo, já foram destaque em diversos festivais internacionais e participações de programas de TV nacional, local e atuações em videoclipes como do DVD Live in Amazon da banda Tribo de Jah.

No Combú Reggae Fusion, o DJ VP Roots promete rolar o melhor do reggae roots acompanhado de dançarinos da oficina de reggae dança de salão ao vivo das 14h às 17h30 no Restaurante Flor do Combú.

Conheça O Festival Combú Reggae Fusion

A Clan / Destino Produções traz um coletivo de artistas de diversas partes da região metropolitana de Belém para trabalhar o entretenimento com responsabilidade social. O Combú Reggae Fusion inaugura a mais nova forma de diversão com informação, o infoentretenimento.

Informações – Bebel Chaves – assessoria de imprensa via telefone ou zap: 91 981856518.

Combú Reggae Fusion 1ª edição – Eco Futurista Ancestral

O Combú Reggae Fusion, o mais inovador evento realizado pós Círio que este ano cai véspera de feriado, importante semana de movimento turístico na capital paraense. A mais nova forma de entretenimento, chega à ilha do Combú no dia 11 de outubro. Neste ano, pela primeira vez, o evento será mostrado em plataformas digitais e, com o tema “Eco Futurista Ancestral”, onde vai buscar discutir as transformações na música, moda, teatro, artesanato, fotografia e grafite e ainda abraçar a culinária paraense, tudo isso trazendo à tona as raízes indígenas e caboclas do sagrado feminino.

O que vai rolar.

A programação, que vai contar com lives, exposição, teatro, o talento de Kataryna Avila e a presença de DJs renomados, pode ser acompanhada no perfil oficial do evento no Instagram (@clan.destinoprodutora).

No dia (11/10), início às 11h e segue por todo o dia; o DJ e musicista Alan Selekta abre o evento com reggae no Vinil, a programação segue com a presença do DJ VP Roots que promete rolar o melhor do reggae roots, na sequência o acústico de Kataryna Avila tocando as escolhidas da brega paraense. Fechando a noite a presença da DJ Elektra, a DJ mais eclética do Pará vai agitar com muito funk, rap e reggae, a programação segue com a participação de atores na festa, representando a alegria e o meio ambiente. Durante a programação do evento, além da parceria dos dançarinos da dança de salão do instrutor Eduardo Murvin, o público presente vai poder ter acesso à exposição de artesanato em biojoia, arte desenvolvida pela artesã Izabely Nascimento via @pororoca_amuletos; Surya Chandra artesã, trabalha a ecobiojoias- macramê e as fragrâncias das ervas naturais Cheiro do mato; fotografia com Mateus Linhares onde mostra o regional, urbano e cotidiano paraense; Isabela Paixão chega na parceria da grafitagem mostrando ao vivo durante o evento, como se faz um grafite de responsa, ela também expõe os trabalhos em prints e pinturas que podem virar tatuagem e faz do biólogo Roberto Porto, o modelo para exercitar seu “Body Paint”, que é a Pintura corporal, uma das formas de pintura onde os corpos são pintados com tinturas extraídas de plantas ou de outros meios. A pintura corporal é uma forma de expressão, ele vai representar o meio ambiente. Luiziana Matos leva o sabor da Amazônia em chocolate com os bombons @abracadabra_docesdalu, tendo como inspiração a Amazônia. O Combú Reggae Fusion acredita no movimento teatral e traz novidades com atores em cena para agitar o entretenimento. A atriz Ronalda Salgado completa o time interpretando a cigana Samambaia levando energias positivas aos convidados; o meio ambiente é levado a sério com a parceria do @nossomundonatural, Roberto Porto, professor, artista paraense e biólogo vai trocar experiências com o público exercitando o pensamento crítico em relação ao destino correto do lixo e como as pessoas devem pensar o verde nas águas do Pará com o personagem “Árvore Ruana”. O evento vai contar com a cozinha experiente e os drinks do restaurante Flor do Combú, luzes e fitas vão deixar o lugar mais zen; o som chega carregado de boas vibrações com som estéreo e nítido da melhor qualidade, tudo isso com o cenário luxuoso da cidade de Belém vista da ilha do Combú. O Flor do Combú tem bar molhado, banho de piscina natural, chuveiro, redário e uma vista incrível! O evento preparou o “smoke zone” área de fumantes ao ar livre. Na ocasião, a equipe vai lançar a produtora Clan/ Destino no cenário paraense. A Clan promete agitar com diversos eventos espalhados pelo Pará. Os 100 primeiros convidados que chegarem vão ganhar uma pulseira neon artesanal para brilhar na festa. A produção recomenda entrada a partir de 20 anos.

A Pandemia

A Clan / Destino respeita os limites da pandemia e reduz o número de convidados em cada evento, trabalhando o público-alvo, os que realmente gostam do cenário de rio e entretenimento exclusivo. Nossos eventos pretendem crescer e ganhar visibilidade em âmbito estadual, inclusive com coberturas realizadas via Youtube. Uma das coordenadoras do evento, Izabely Nascimento, destaca a importância do formato inovador do evento, com o olho na economia criativa, meio ambiente e o multissensorial sempre respeitando o limite de pessoas no mesmo local. -Nossas redes digitais vão ajudar a divulgar os eventos, criando expectativa em torno deles. Com isso, o canal de diálogo entre a marca e o público se fortalece. Durante o evento, há postagens e compartilhamento de conteúdo ao vivo. Os ingressos serão limitados. Sobre o Combú Reggae Fusion A primeira edição do Combú Reggae Fusion abre os trabalhos em 2021 com muita responsabilidade em levar o entretenimento responsável e revelador. O evento pretende contribuir de forma decisiva para o crescimento da produção local através de micro e pequenos empreendedores e da formação de associações e cooperativas que impulsionam o trabalho de divulgação da produção local. 

Serviço Combú Reggae Fusion 1ª Edição Segunda- feira, pós Círio (véspera de feriado) 11 de outubro. Hora _ a partir das 11h Local_ Flor do Combú Ingressos via PIX CHAVE 066.331.372-49 Informações via ZAP 91 986 226006. Saída_ Praça Princesa Isabel, final da Alcindo Cacela (travessia menos de 5 minutos) / Barcos para travessia – 20 reais- ida e volta compra no guichê- aceita dinheiro ou débito. (fotos para divulgação).

 Durante o evento, há postagens e compartilhamento de conteúdo ao vivo. Os ingressos serão limitados. Sobre o Combú Reggae Fusion A primeira edição do Combú Reggae Fusion abre os trabalhos em 2021 com muita responsabilidade em levar o entretenimento responsável e revelador. O evento pretende contribuir de forma decisiva para o crescimento da produção local através de micro e pequenos empreendedores e da formação de associações e cooperativas que impulsionam o trabalho de divulgação da produção local.

Serviço:

Combú Reggae Fusion 1ª Edição Segunda- feira, pós Círio (véspera de feriado) 11 de outubro. Hora _ a partir das 11h Local_ Flor do Combú Ingressos via PIX CHAVE 066.331.372-49 Informações via ZAP 91 986 226006. Saída_ Praça Princesa Isabel, final da Alcindo Cacela (travessia menos de 5 minutos) / Barcos para travessia – 20 reais- ida e volta compra no guichê- aceita dinheiro ou débito.

ECONOMIA CRIATIVA GERA TALENTO

Izabely Nascimento (Iza), estudante do curso de cenografia da Escola de Teatro e Dança da UFPA -ETDUFPA – Instituto de Ciências da Arte. Artesã criadora da loja de biojoias, @pororoca_amuletos com dois anos atuando no mercado informal e economia criativa. Sempre inserida aos movimentos culturais, ministrando oficinas de biojoias, Iza conheceu a arte de manipular sementes e pedras vindas do meio ambiente através do curso de biologia da UFPA, na ilha de Mosqueiro a convite do professor de Biologia, Roberto Porto onde teve contato por meio de algumas oficinas com as artesãs da Ilha de Mosqueiro, já aprendendo pontos de macramê, conhecendo as sementes e processos de criações das artes na comunidade. A partir daí Izabely Nascimento não parou mais, da pulseira ao colar onde a partir disso foi confeccionando artesanatos. Participou do Festival Tucunduba (Festival de trocas criativas, produção de resistência através da cultura e arte nas baixadas belenenses), ministrando oficinas de biojoia no mutirão de Grafite no bairro das Águas lindas e na ilha de Cotijuba. A troca do conhecimento é o que mais encanta Iza, a troca ancestral que gera o conceito da @poroca_amuletos que são amuletos conectados a natureza, sementes da floresta amazônica que são retiradas da natureza com a conscientização e manipulação das sementes.

AS SEMENTES COMO INSPIRAÇÃO

Semente de açaí, olho de boto, olho de boi das seringueiras; as madeiras, as folhas, minerais e búzios, todo esse material compõem os adornos. Izabely Nascimento e seu múltiplo talento para a arte e produção, além gerenciamento de plataformas virtuais, enfrenta um novo desafio na organização do “Combú Reggae Fusion” evento a ser realizado na Ilha do Combú na segunda-feira pós círio, além de expor as biojoias ao público presente. Para ela o evento vai ser multissensorial e abre a primeira edição de inauguração da produtora de eventos Clan / Destino. Para Iza o importante e fundamental é promover o entretenimento, aliado a conscientização ambiental e respeito ao ecossistema.

ARTE E IDENTIDADE DO SAGRADO FEMININO

Isabella Paixão é uma artista visual paraense, atua como arte educadora, tatuadora, grafiteira e designer. Tem a arte como cura e expressão desde a infância. No Graffiti, assina como Isa, traz em seus trabalhos representações dos povos originários, o misticismo amazônico e a natureza feminina, trazendo a influência também de uma infância e raiz familiar de Curuçá, terra do folclore encantada pelos manguezais e suas águas. A vivência com a arte de rua começou em 2015, ingressando no coletivo Freedas Crew, recentemente também integrou o coletivo M.ar e faz parte também do espaço colaborativo Nagambi. 

GRAFFITI, EDUCAÇÃO E TROCA

Ganhou o concurso de identidade visual de 2020 do Evento Graffiti Queens, com arte digital em homenagem à rapper Dina Di. Fez a Exposição Mulheres que ocorreu no Conselho de Psicologia de Belém, também expôs na Mostra Traços, que fez parte da Feira de Ilustrações e Impressos do Sesc Ver-o-Peso. Em suas palavras: arte é vida, educação e troca, é poder somar no mundo, sempre aprendendo com ele. Isabela Paixão chega na parceria da grafitagem mostrando ao vivo durante o evento, como se faz um grafite de responsa, ela também expõe os trabalhos em prints e pinturas que podem virar tatuagem e faz do biólogo Roberto Porto, o modelo para exercitar seu “Body Paint”, que é a Pintura corporal, uma das formas de pintura onde os corpos são pintados com tinturas extraídas de plantas ou de outros meios. A pintura corporal é uma forma de expressão, ele vai representar o meio ambiente. Conheça mais sobre essa artista no @isa.rtes

A PAIXÃO PELO MEIO AMBIENTE

Roberto Porto é Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Pará. Está cursando Bacharelado em Ciências Biológicas – UFPA. Especialista em Educação Especial na Perspectiva da Inclusão pela Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ) e atualmente é aluno de especialização em Docência no Ensino de Libras (ESAMAZ). Atua como estagiário bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET Biologia) pela Universidade Federal do Pará. Atou como professor visitante voluntário no Instituto Felipe Smaldone. Participou do programa Ciência Sem Fronteiras (CAPES) na modalidade Graduação Sanduíche estudando na Wilson College (Estados Unidos da América). Tem experiência na área de educação ambiental pelo Serviço de Educação (SEC) do Museu Paraense Emílio Goeldi no projeto em parceria com o Instituto TIM “Ações educativas do Museu Goeldi”. Foi aluno de Iniciação Científica (PIBIC) inserido no projeto “Estrutura social do macaco-de-cheiro (Saimiri sciureus) com ênfase em hierarquia de dominância” vinculado ao laboratório de Ecologia Comportamental de Primatas da Universidade Federal do Pará. Foi estagiário PIBIC na Escola Experimental de Primatas vinculada ao Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento (NTPC) atuando no projeto “Estruturação de espaço de cativeiro e enriquecimento ambiental de macaco-prego (Sapajus spp.)”. Foi estagiário no Smithsonian Institute atuando no projeto “Registros de Uracentron flaviceps e outros répteis usando armadilhas de câmera na copa das árvores da floresta Peruana”.

NOSSO MUNDO NATURAL

Roberto Porto mostra que é possível trabalhar o “olhar ambiental” e ideias sobre meio ambiente pelo canal @nossomundonatural mostrando conhecimentos diversos sobre o mundo natural em que vivemos, e que é possível a educação ambiental em lugares onde pessoas busquem o entretenimento. No dia de evento vai levar a conscientização ambiental de forma lúdica e informativa; ele se propõe a ser modelo para receber o “Body Paint”, que é a Pintura corporal, uma das formas de pintura onde os corpos são pintados com tinturas extraídas de plantas ou de outros meios. A pintura corporal é uma forma de expressão, ele vai representar o meio ambiente.

O AMOR PELA CULTURA NEGRA

Allan Selekta, sempre gostou de ouvir música desde criança, onde recebeu a influência do pai, que gostava de Luiz Gonzaga e como bom nordestino foi a primeira influência da carreira. Começou a gostar do reggae aos 19 anos, conheceu a cultura negra na música e se identificou com as batidas envolventes do reggae. Através da música conheceu a raiz da música jamaicana e música africana. Seguiu pesquisando um pouco de tudo isso e começou a tocar como diversão. Em 2011 começou a colecionar vinil e tocar bastante onde emergiu numa festa realizada em Castanhal chamada “kizomba Groove” numa convivência com o espaço de convivência “Shangrilá” onde teve um contato maior de forma mais direta com a cultura popular e afro. Se envolveu com o movimento Hip Hop onde organizou batalhas e produziu músicas. A partir daí foi fazendo trabalhos com diferentes artistas da cidade quanto de outros lugares até do mundo, como pessoas da África e dos Estados Unidos.

 REGGAE NO VINIL DA MELHOR QUALIDADE

O público do Combú Reggae Fusion vai poder ouvir logo pela manhã à beira do rio Guamá; o hip hop, reggae e new roots ragga tudo no vinil. Selekta, promete levar o som no vinil da melhor qualidade. Ele ama os “roots”, mas em condições mais modernas, porque o som tem que carregar um toque de modernidade. Segundo Selekta, a expectativa para o evento é altíssima; ele diz estar somando e muito feliz com todo o processo de produção do evento. Nos últimos anos vem se dedicando à produção musical, atuando como DJ mais o amor pela música. O amor pelo Vinil vai com ele aonde for e promete mostrar muita arte através da música. Conheça melhor o trabalho no @seleketah_nubeat.

 O AMOR PELO CONSUMO CONSCIENTE

Surya Chandra é artesã e estudante de cosmética natural. Idealizadora da marca @cheirinhodomato_ , onde trabalha intuitivamente o consumo consciente, fazendo mistura de aromas das plantas da floresta Amazônica. Artesã autodidata na arte das Eco Biojóias e na tecelagem de micro macramê. Segundo ela, o processo de artesã na vida vem da ancestralidade da família da avó paterna que logo virou um empreendedorismo. O amor pela biojóia, ensinada pela avó, fez ela aprender a fazer o primeiro colar, e já ficou apaixonada pelas sementes feitas de materiais naturais. Surya busca sempre equilibrar o trabalho com o respeito à natureza, um consumo mais consciente que não vá causar danos até mesmo para a saúde. Gosta de trabalhar os aromas e fragrâncias vindas da natureza, como por exemplo, a essência de patchouli e priprioca e aposta no empreendedorismo consciente de consumo.

 A CURA QUE VEM DO MATO

Surya acredita na consciência do consumo que vem de matérias-primas naturais, sem químicas ou corante sintético. O uso do poder das águas principalmente medicinais, por exemplo, manjericão que é uma erva de poder, assim como arruda que traz prosperidade, calma e carrega algum benefício psíquico e emocional para as pessoas. Ainda segundo Surya, a busca como artesã é na verdade um caminho de autocura e consciência do que a gente põe dentro do nosso corpo. O aroma tem uma importância muito grande e as ervas medicinais que vem das árvores e das plantas, algo que existe dentro delas que pode trazer a cura para diversas doenças. Além de manipular os aromas, Surya aposta também em usar as sementes através da biojóia, matéria viva onde existe vitalidade trazendo proteção e força espiritual. O público do Combú Reggae Fusion vai poder sentir o aroma e apreciar a arte de Surya.

IRREVERÊNCIA E TALENTO

Ronalda Salgado, formada pela Uepa em pedagogia, contadora de histórias e autodidata na formação teatral e ambiental, iniciou no Coro Cênico da Escola Técnica Federal do Pará. O nome Ronalda foi inspirado na personagem Ronalda Cristina na série de TV Armação Ilimitada da rede Globo, onde as pessoas viam semelhança com ela. Conheceu o teatro no final da década de 80 e de lá para cá já atuou em muitos espetáculos. Chegou a iniciar o curso de música na UFPA e a trabalhar em grupos de experiência em teatro na década de 90. Começou a se interessar em grupos contadores de história onde passou a atuar.

APRENDIZADO, MEIO AMBIENTE E ENTRETENIMENTO Ronalda leva, sempre que pode, trabalha a arte dentro da sala de aula sempre construindo um processo educativo de consciência ambiental. O Combú Reggae Fusion acredita no movimento teatral e traz novidades com atores em cena para agitar o entretenimento. A atriz Ronalda Salgado completa o time interpretando a cigana Samambaia levando energias positivas aos convidados. É esperar e se divertir!

VP ROOTS O DJ DAS MULTIDÕES 

DJ Vitor Pedra Roots (DJ VP Roots) começou no movimento social com AMOR (Associação dos Movimentos Reggae) entidade cultural da região metropolitana de Belém ingressando em 2002 na equipe do programa de rádio comunitário Sintonia do Reggae. Atualmente produz coletâneas “Reggae Roots in Belém” que reúne canções autorais das bandas do estado do Pará, de lá para cá através das rádios, hoje é a ponte direta entre Belém e Jamaica. DJ VP Roots foi produtor do clipe “Sente o som” da banda Jaafa Reggae. VP Roots é diretor fundador da Agência Cultural e trabalha de forma eficaz como assessor de imprensa para artistas e eventos locais e nacionais.

REGGAE NAS VEIAS

Atualmente produz o programa Sintonia do Reggae por meio de lives, faz parte do conselho diretor da APC Reggae (Associação Paraense da Cultura Reggae) que realiza anualmente o Tributo a Bob Marley, o maior do norte do Brasil e coordena o projeto de Dança Reggae de Salão nas comunidades e instituições culturais. O DJ VP Roots já tocou em vários eventos internacionais de reggae no Pará. No Combú Reggae Fusion, o DJ VP Roots promete rolar o melhor do reggae roots acompanhado de dançarinos da oficina de reggae dança de salão.

PAIXÃO E INTENSIDADE PELA MÚSICA

Kellen Serrão, DJ Elektra, cantora, instrumentista, promete agitar a ilha do Combú. DJ bem eclética, mas com uma paixão imensa pela brega. Aluna de mecatrônica e eletrotécnica, começou a estudar aos 10 anos no conservatório Carlos Gomes, violão popular. Trabalha tocando nas noites paraenses como DJ e cantora. Os seguidores e fãs da DJ Elektra apostam na intensidade de seu trabalho onde a irreverência faz todo mundo dançar e se agitar. Ela sempre busca a interação com o público com muita performance e atendendo pedidos.

ECLÉTICA E AGITADA

 Electra gosta de fantasiar, de ver filmes e está sempre ligada na eletricidade. Ela adora dançar com o público e vem no caminho desde 2017. A DJ mais eclética do Pará promete uma surpresa no Combú Reggae Fusion e fecha a noite com muito funk, rap, brega e reggae. A expectativa é grande e o evento promete ser multissensorial.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.