Conecte-se conosco

Os trabalhadores rodoviários da empresa Monte Cristo paralisaram as atividades nesta quinta-feira (22)

Foto: Sintrebel / Acervo Pessoal / Fonte: O Liberal

BELÉM

Os trabalhadores rodoviários da empresa Monte Cristo paralisaram as atividades nesta quinta-feira (22)

Desde as 4h, os ônibus não saíram da garagem. A sede fica na avenida Visconde de Inhaúma, limite entre os bairros do Marco e da Pedreira. O motivo da paralisação, que é o mesmo que vem se repetindo várias vezes desde 2019, é o atraso no pagamento de salários; salários incompletos; férias atrasadas; tíquete-alimentação atrasado; e condições de trabalho inadequadas, como reclamam os trabalhadores. Ao final desta manhã, após assembleia, a liderança dos rodoviários decidiu que a suspensão de atividades prossegue sem prazo para voltar à normalidade, pois não houve acordo com a empresa. 

A paralisação já vinha sendo anunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Belém (Sintrebel) há alguns dias à empresa, como informou o vice-presidente da entidade, Ewerton Paixão. O último comunicado à Monte Cristo foi nesta quarta-feira (21). Mesmo assim, afirma o sindicalista, a empresa ainda não deu qualquer posicionamento, após cinco horas desde o início da manifestação. Ewerton garante que o Sintrebel recorreu a todas as vias legais e contatos amigáveis com a empresa. Diante da falta de retorno, denúncias começaram a se acumular no Ministério Público do Trabalho (MPT).

Nas redes sociais, usuários relataram a falta dos ônibus. A Monte Cristo tem cerca de 500 trabalhadores rodoviários, que operam as linhas CDP – Providência, Pedreira – Lomas (linhas A e B), Pedreira – Nazaré, Sacramenta – Humaitá, Sacramenta – Presidente Vargas, Sacramenta – São Brás e Marex – Arsenal.

Por: Victor Furtado

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top