Conecte-se conosco

CURIOSIDADES

Repórter Daia de Paula tem grave infecção urinária: metade das mulheres podem sofrer com esse problema, entenda

Repórter e assistente de palco Daia de Paula teve grave quadro de infecção urinária, condição que pode afetar de 50% a 60% das mulheres

Publicadas

sobre

A infecção urinária é uma condição até que bem conhecida em nosso dia a dia, o que nem sempre sabemos é o quão comum ela pode ser. Recentemente, Daia de Paula, repórter e assistente de palco que namora com Caio Castro, a estrela global, ficou internada por 4 dias e comunicou o ocorrido com um sinal de alerta em suas mídias sociais.

Com mais de 400 mil seguidores, Daia usou este espaço para orientar as mulheres que a acompanham, já que a condição, embora relativamente comum, pode ser acompanhada de muita dor e, se não tratada adequadamente, levar a problemas mais graves.

A luz trazida a esta questão por Daia de Paula foi muito valiosa. Afinal, um estudo publicado no periódico Sultan Qaabos University Medical Journal mostrou que entre 50% e 60% das mulheres desenvolvem uma infecção do trato urinário ao longo de suas vidas, a qual corresponde a aproximadamente 25% de todos os quadros de infecção diagnosticados.

Com isso, surgem algumas dúvidas: como identificar a infecção de urina? Quais são as potenciais complicações? Como é o tratamento? O que fazer para evitar? Além disso, um ponto menos conhecido, mas que também merece ser destacado, é que as infecções de urina podem afetar até mesmo a saúde sexual.

Continue a leitura para tirar essas dúvidas e entender aquilo que você precisa saber sobre o assunto.

O que é infecção de urina?

Tecnicamente chamada de infecção do trato urinário, a condição se caracteriza por uma infecção em qualquer parte do sistema urinário, que inclui os rins, ureteres, uretra e bexiga. Esses dois últimos compõem o trato urinário inferior, onde acontece a maior parte das infecções.

As mulheres apresentam um maior risco de contrair infecção de urina do que os homens. Quando a condição é limitada à bexiga, pode ser dolorosa e incômoda, mas quando ela se espalha para os rins, os riscos aumentam muito.

Quais são as causas das infecções de urina?

Elas geralmente acontecem devido à entrada de bactérias no trato urinário pela uretra, começando a se espalhar para a bexiga. Embora o sistema urinário combata infecções, às vezes esse combate falha, e é aí que as bactérias podem se alojar e causar infecções.

Alguns fatores de risco são:

  • Anatomia feminina: a uretra é menor que nos homens, o que pode facilitar a passagem para a bexiga;
  • Atividade sexual: pessoas sexualmente ativas tendem a ter mais infecções urinárias, mas mesmo quem não é sexualmente ativo também pode desenvolvê-las;
  • Menopausa: a queda no estrogênio que circula pelo corpo altera o trato urinário, podendo aumentar as chances de contrair infecções urinárias;
  • Alguns métodos contraceptivos: diafragmas e agentes espermicidas podem aumentar o risco.

Outros fatores incluem comprometimentos do sistema imunológico, uso de cateter, problemas no trato urinário e ter realizado procedimentos urinários recentes.

Como identificar uma infecção de urina?

Infelizmente, a condição nem sempre apresenta sintomas, o que pode dificultar o diagnóstico. Porém, quando eles aparecem, alguns dos principais são:

  • Muita vontade de urinar, que parece não passar;
  • Ir ao banheiro muitas vezes para urinar, com pequenas quantidades de urina;
  • Sensação de queimação ao urinar;
  • Urina turva;
  • Odor intenso na urina;
  • Urina que parece vermelha, rosada ou mais escura, podendo indicar sangue na urina;
  • Nas mulheres, a condição também pode causar dor pélvica, especialmente no centro da pelve e ao redor do osso púbico.

Esses, porém, não são os únicos fatores. Daia de Paula, por exemplo, queixava-se de dor lombar do lado esquerdo, acreditando que fosse por conta das atividades físicas, mas, em certo dia, ela teve 39º de febre, foi às pressas ao pronto-socorro e descobriu a infecção.

Como é feito o diagnóstico da infecção de urina?

A avaliação clínica, considerando os sintomas (quando existem), pode ajudar a indicar a infecção de urina, cujo diagnóstico mais simples se dá por meio de exames de urina ou de imagem.

Quais são as potenciais complicações da infecção de urina?

Há uma série de possíveis complicações que podem ser decorrentes de infecções urinárias, como infecções por repetição, estreitamento de uretra (nos homens), danos permanentes nos rins, partos prematuros ou com bebês abaixo do peso (quando a doença acontece durante a gestação) ou até mesmo sepse, especialmente quando a infecção atinge os rins.

Qual é o tratamento para infecção de urina?

Geralmente, o tratamento inicia-se com a prescrição de antibióticos, cuja escolha se dá de acordo com as condições de saúde apresentadas pelo paciente e o tipo de bactéria identificado no exame de urina.

Há diferentes antibióticos que podem ser prescritos para infecções simples, por repetição ou mais severas. Neste último caso, inclusive, pode ser necessária a administração de antibiótico por via intravenosa.

Como evitar infecções de urina?

Como diz o ditado, prevenir é melhor do que remediar. Algumas alternativas que podem ajudar a mitigar o surgimento de infecções de urina são as seguintes:

  • Beber muita água ajuda na diluição da urina e na eliminação de possíveis bactérias;
  • Evitar o consumo de bebidas que podem irritar a bexiga, como café, refrigerantes e bebidas alcoólicas.

Quais são os impactos das infecções urinárias para a saúde sexual das mulheres?

Por último, mas não menos importante, é preciso entender a associação desconhecida por muitos que existe entre infecções urinárias e as relações sexuais.

Geralmente, os médicos indicam que se aguarde até que a infecção tenha ido embora para apenas depois disso ter relações sexuais. Afinal, durante o sexo, é possível que o trato urinário seja irritado, o que pode empurrar bactérias na uretra, piorando a infecção.

Além disso, relações sexuais neste período por ser dolorosas e irritar a sensível região uretral. Nas mulheres, por exemplo, a pressão nas paredes internas da vagina podem colocar pressão na bexiga, intensificando as dores.

Cabe ressaltar aqui que infecções do trato urinário não são sexualmente transmissíveis, mas a indicação de evitar sexo neste período se dá justamente por conta da dor e do desconforto.

Assim como condições diretamente relacionadas à saúde sexual, como um caroço no pênis, podem prejudicar as relações, outras condições e sintomas periféricos também podem ter esses efeitos, inclusive em outras áreas da saúde.

Por isso, caso identifique qualquer anormalidade, procure ajuda médica o quanto antes, de modo a ter diagnóstico, tratamento e recuperação mais tranquilos, evitando agravamentos como aconteceram com a namorada de Caio Castro.

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.