Conecte-se conosco

BELÉM

Defesa Civil de Belém e Serviço Geológico do Brasil avaliam riscos geológicos em Cotijuba

Foto: Reprodução / Fonte: Agência Belém

Atualizar o mapeamento das áreas de riscos geológicos nas ilhas de Belém. Este é o objetivo do trabalho que será realizado pela Defesa Civil de Belém em parceria com a equipe de geólogos da Companhia de Pesquisas de Recuros Minerais (CPRM), que tem as atribuições de Serviço Geológico do Brasil. A primeira ilha a ser vistoriada será Cotijuba, na sexta-feira, 30 de abril.

Nesta segunda-feira, 26, representantes da Defesa Civil e do CPRM estiveram reunidos para definir o calendário de vistorias no arquipélago da cidade. A previsão é que mapeamento seja concluído ainda no primeiro semestre. 

A coordenadora geral da Defesa Civil, Christiane Ferreira, explica que  além de atualizar o mapa das áreas de risco – o último levantamento foi feito em 2016 – o trabalho em parceria com os geológos vinculados ao Ministério de Minas e Energia tem caráter preventivo. “O levantamento servirá como base para as ações desenvolvidas, em conjunto com outros órgãos governamentais, para redução dos impactos causados pela ação da natureza e do homem”, pontua.

Parceria

O diálogo entre a Comissão Municipal de Defesa Civil de Belém e o Serviço Geológico do Brasil começou em janeiro deste ano, quando a atual gestora solicitou ao superintendente regional de Belém, Jânio Nascimento, o suporte técnico-científico do CPRM com o objetivo de atualizar o mapeamento da setorização de risco geológico alto a muito alto no município de Belém, com base nos produtos desenvolvidos nos anos de 2012 e 2016.

“A solicitação foi feita em caráter emergencial considerando o período de maior incidência de chuvas, entre os meses de janeiro a junho, que coincide com os períodos de marés altas mais elevadas (marés de sizígia). A duplicidade desses eventos naturais acarretou em diversos eventos de enchente e alagamentos no município ao longo da última década, causando inúmeros prejuízos materiais, patrimoniais e de vidas”, ressalta Christiane Ferreira. 

“O pedido foi aprovado não somente na Superintendência Regional de Belém, como no Departamento de Gestão Territorial (Deget), no escritório do Rio de Janeiro, que é o departamento responsável pelos estudos de setorização de risco geológico. Ou seja, está tudo certo para darmos continuidade aos trabalhos. Só não foi realizado anteriormente, devido a pandemia de Covid-19”, explicou o gerente de Hidrologia e Gestão Territorial, Homero Melo Junior

Em fevereiro deste ano, Defesa Civil e CPRM iniciaram o trabalho em parceria. Naquele mês a Defesa Civil realizou vistorias preventivas nos distritos de Mosqueiro e Outeiro, que resultaram na interdição de trechos da orla nos dois distritos.

Por: Aycha Nunes

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.