Conecte-se conosco

BELÉM

Nova usina de oxigênio chega a Belém e vai abastecer o Hospital Redentor

Foto: Marcos Barbosa / Fonte: Agência Belém

Chegou a Belém a usina de produção de oxigênio que vai abastecer o Hospital Redentor, assumido administrativamente pela gestão municipal, para servir de retaguarda no atendimento aos casos da Covid-19 e à grande demanda por leitos na capital.

O equipamento foi recebido na noite desta terça-feira, 30, pelo secretário municipal de saúde, Maurício Bezera. A expectativa é que a nova usina já esteja em pleno funcionamento na próxima semana.

“Agora teremos auto-suficiência na produção de oxigênio para abastecer a necessidade do hospital. É uma usina com capacidade de produção suficiente para atender a um hospital com 50 leitos clínicos e 10 leitos de UTI”, destacou o secretário.

A nova usina tem capacidade de produzir 20 metros cúbicos de oxigênio por hora, o que por mês vai gerar uma capacidade de produção de 14.400 metros cúbicos. Isso vai representar uma economia, em relação à compra de oxigênio, de R$ 50 mil por mês para a rede municipal de saúde. “É um equipamento que em um ano de utilização se paga”, acrescenta o titular da Sesma.

A nova usina vai possibilitar que o Redentor opere com a sua capacidade máxima, disponibilizando 60 leitos clínicos e nove de UTI para atendimento exclusivo a pacientes com a Covid-19.

“Esse equipamento foi comprado em duplicidade para atender a necessidade do hospital. Sendo assim, no momento em que nós não precisarmos mais utilizá-lo aqui, quando passar essa fase grave de covid, poderá ser dividido em duas partes e cada uma terá capacidade de atender uma UPA inteira, em termos de produção de oxigênio”, explica o secretário.

O hospital Redentor integra a rede de retaguarda de hospitais específicos para o atendimento de pacientes com Covid-19, em Belém. Porém, ele não é porta aberta. A entrada dos pacientes continua sendo pelas UPAs e as 16 clínicas de campanha que estão sendo gradativamente ativadas pela Prefeitura em anexo às UPAs e UBSs da capital. O paciente deve procurar as unidades ou clínicas de campanha para, a partir delas, ser encaminhado para os hospitais de retaguarda.

Além do Redentor, fazem parte da rede de retaguarda de atendimento à Covid-19, na capital, os hospitais Beneficente Portuguesa, Dom Vicente Zico, o Pronto Socorro do Guamá e parte do PSM da 14 de março.

Por: Danielly Gomes

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.