Conecte-se conosco
Foto: Reprodução / Fonte: Vale com informações Bacana News

MEIO AMBIENTE

Para reduzir emissões de carbono na atmosfera, Vale adota carros elétricos

Na área da Vale no Pará, os veículos elétricos já são uma realidade. A empresa conta com três automóveis que funcionam totalmente a energia elétrica e com zero emissão de CO2 (dióxido de carbono) na atmosfera. A iniciativa faz parte de um conjunto de soluções que a Vale está adotando para reduzir as emissões em todas as fases das suas operações e junto aos seus fornecedores. A meta da empresa é se tornar carbono neutra até 2050.

Isso quer dizer reduzir ou compensar todas as emissões de carbono que não podem ser evitadas com trabalho de reflorestamento e conservação de biodiversidade. No total, a Vale deverá investir US$ 2 bilhões para reduzir em 33% as emissões de carbono diretas e indiretas da empresa até 2030 e ajudar a reduzir em 15% as emissões de seus fornecedores até 2035.

Será o maior investimento já comprometido pela indústria da mineração para o combate às mudanças climáticas. Os carros, ainda em fase experimental, estão sendo empregados para o transporte de empregados e materiais. Dois do modelo Nissan Leaf são fruto de parceria entre Vale e a empresa JSL, contratada Vale, para locação de veículos leves e para o transporte de empregados no trajeto entre mina, Núcleo Urbano e cidade de Parauapebas, Salobo e Canaã.

Os carros possuem autonomia de 250Km. Para recarga dos automóveis foram instalados dois pontos no Núcleo Urbano. O carregamento é feito em 8h e também pode ser feito em 1h, por meio do modo carregamento rápido. Entre as vantagens estão a zero emissão de gases poluentes. Os veículos também são silenciosos, mais eficientes e tem menor custo de abastecimento. Outra característica é a utilidade dos minérios para sua produção.

O cobre, o níquel e o cobalto são empregados na confecção das baterias destes veículos. Também o custo de manutenção chega a ser 30% menor do que um veículo de motor a combustão. Entre as desvantagens está o fato de não ser possível realizar trajetos acima de 250Km. Já no Entreposto Metais Básicos de Parauapebas, onde é feito o carregamento do concentrado de cobre também está sendo usado carro elétrico de outro modelo, o HC2+D, veículo semelhante a um carrinho de golfe com carroceria.

O veículo foi adquirido pela empresa e está sendo empregado no transporte de materiais e ferramentas das equipes de manutenção. O carro possui autonomia de 8 horas ininterruptas de funcionamento com capacidade de transporte de 320 kg e substitui as caminhonetes movidas a diesel e também os carrinhos manuais. O carregamento do veículo é feito de 12h em 12h.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top