Conecte-se conosco

FUTEBOL

No Mangueirão, Brasiliense vence o Remo e conquista a Copa Verde 2020

Estado garante equipes de saúde e segurança, com apoio de órgãos municipais, para a final da competição

Foto: Reprodução / Fonte: Agência Pará

No jogo final, realizado nesta quarta-feira (24), no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, o Brasiliense Futebol Clube, do Distrito Federal, venceu o Clube do Remo, do Pará, sagrando-se campeão da Copa Verde de Futebol 2020. O título também assegura ao clube uma vaga nas oitavas de finais da Copa Brasil 2021. Com o placar de 2 x 1 no tempo normal, a partida foi decidida nos pênaltis. O Governo do Pará, com o apoio da Prefeitura de Belém, garantiu os serviços necessários à final da competição.

Foram mobilizados 40 policiais militares para atuar dentro do estádio e em toda a área de abrangência do Complexo do Mangueirão, com auxílio de equipes do Corpo de Bombeiros Militar, Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), Guarda Municipal de Belém e Departamento de Trânsito do Pará (Detran). Também estava disponível uma equipe de pronto-atendimento da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

“Futebol é uma paixão que não se explica; cada um torce para o time do seu coração. O governo do Estado, por meio da Seel (Secretaria de Estado de Esporte e Lazer), conseguiu realizar um grande trabalho no estádio, preservando a saúde de todos neste momento de pandemia. Parabéns ao Brasiliense pela campanha nessa competição”, declarou Arlindo Silva, titular da Seel, órgão responsável pela gestão do espaço.

Aos 26 minutos do primeiro tempo, Fredson abriu o placar para o Remo. Logo no início do segundo tempo, Zé Love fez o gol do time do Distrito Federal, deixando o jogo empatado. Aos 17 minutos do segundo tempo, Rafael Jansen aproveitou uma cobrança de falta e fez o segundo gol do Remo. O lance foi consultado pelo VAR. Com o resultado de 5 a 4 na cobrança de pênaltis, o Brasiliense levantou a taça de campeão. 

Prevenção – Para Luísa Estevão, presidente do Brasiliense, a vitória celebra todo um período de esforço em um momento delicado. “Foi gratificante estar aqui. Agradeço a toda a equipe do Mangueirão, que recebeu todos nós muito bem. Pudemos ver aqui um reforço muito grande com relação às normas de prevenção (à Covid-19)”, ressaltou.

Em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus, os jogos de futebol ficaram suspensos, com a retomada só em agosto de 2020, sem a presença de público.

Atendendo ao protocolo de segurança na crise sanitária, outras finais também foram realizadas no Mangueirão. Em setembro, o Paysandu Sport Club venceu o Remo, conquistando o título do Campeonato Paraense de Futebol 2020. Em novembro, o time da Esmac conquistou pela quinta vez consecutiva o título do campeonato Paraense de Futebol Feminino, vencendo a equipe do Paysandu. Em dezembro, a Tuna Luso venceu o Sport Real, em partida do Campeonato Paraense da Segunda Divisão, e conquistou o acesso à elite do futebol paraense após sete anos. Em janeiro deste ano, o Vila Nova Futebol Clube (GO) venceu o Clube do Remo (PA) e ficou com o título do Campeonato Brasileiro de Futebol Série C 2020.

Para 2021 está programada uma grande reforma no Estádio Mangueirão, conduzida pelo governo do Estado. Maior praça esportiva do Pará, e símbolo da paixão do povo paraense pelo futebol, o Mangueirão completa 43 anos de existência no próximo dia 4 de março. Projetado pelo arquiteto Alcyr Meira, o estádio começou a ser construído em 1971.

Além de ser palco do clássico do futebol da Amazônia, o Re-Pa, o Mangueirão já sediou vários eventos esportivos, como o Grand-Prix de Atletismo, na pista implantada após a reforma concluída em 2002, que deu ao estádio status internacional.

Por Paula Portilho (SEEL)

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.