Conecte-se conosco
Foto: Reprodução / Fonte: O Liberal

BELÉM

Acidente Fatal | Homem morre após sofrer descarga elétrica em residência no bairro do Guamá

A vítima prestava um serviço de instalação de câmeras de segurança. Foi neste momento que ele, ao subir em uma escada para puxar uma fiação do segundo andar da casa, acabou acidentalmente encostando na fiação de média tensão, cuja carga elétrica é de 13,8 mil volts.

Alan Magalhães Ribeiro, de 35 anos, morreu após sofrer uma descarga elétrica de quase 14 mil volts e cair de uma altura de 20 metros no bairro do Guamá, em Belém. O acidente de trabalho ocorreu por volta de meio-dia desta terça-feira (9) e foi presenciado por uma guarnição do 20º Batalhão da Polícia Militar, que seguia pela rua Augusto Corrêa no momento em que o acidente ocorreu.

“Estávamos próximo daqui quando vimos o clarão e o vulto dele caindo. Aceleramos e o irmão dele estava desesperado, abraçando ele e pedindo que a gente fizesse alguma coisa, mas constatamos que ele já havia morrido”, detalha o policial militar.

Segundo o militar, não há informações se os dois atuavam de forma legalizada ou clandestina. Um boletim de ocorrência foi registrado pelo familiar da vítima, que não teve a identidade confirmada pelas autoridades policiais, na Seccional do Guamá. Nenhum dos dois utilizavam qualquer tipo de equipamento de proteção individual (E.P.Is).

Durante o trabalho pericial de uma equipe do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC), foi possível perceber que o corpo de Alan apresentava diversas lesões, aparentemente por queimaduras causadas pela carga elétrica. A enorme quantidade de sangue no local do acidente também demonstrou que somente a queda já seria o suficiente para levar o homem a óbito.

Segundo a perícia criminal, não foi possível identificar com precisão se a vítima morreu por por conta da carga elétrica ou por ter caído de uma altura de 20 metros. Somente o exame necroscópico será possível indicar a causa da morte.

O corpo foi removido pouco depois das 14 horas por uma equipe do Instituto Médico Legal (IML).

Por: Ana Carolina Matos

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top