Conecte-se conosco
Foto: Diorgenes Pandini/NSC / Fonte: G1 PA

POLÍCIA

Segup abre canal de denúncia de irregularidades durante a vacinação contra a Covid-19

Pará está na primeira fase de vacinação, que atende trabalhadores de saúde; pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup) abriu canal para denunciar irregularidades na vacinação contra a Covid-19 no Pará. No estado, a vacinação iniciou na manhã da terça-feira (19), com a disponibilização de 173.240 doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

Segundo a Segup, as denúncias podem ser feitas pela atendente virtual Iara (Inteligência Artificial Rápida e Anônima) no whatsapp (91) 98115-9181, que possibilita o envio de fotos, vídeos, áudios e localização; as chamadas convencionais via 181 e pelo formulário e chatbot disponíveis no site da secretaria. Todos os canais garantem o sigilo e o anonimato total do denunciante.

Desde quando as vacinas começaram a chegar aos municípios, denúncias de que servidores que estão foram do grupo da primeira fase do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde estão sendo imunizados de forma irregular.

“As primeiras doses da vacina CoronaVac chegaram até o Estado, a integração entre os órgãos possibilitou a entrega em todas as cidades em menos de 24 horas. Nós precisamos que toda a população compreenda a necessidade de respeitar cada fase da imunização. Foi um protocolo tecnicamente elaborado e que precisa ser obedecido. O fato de se antecipar antes da fase estipulada é um grande equivoco que pode deixar quem mais precisa, sem a vacina”, destacou o titular da Segup, Ualame Machado.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

O gestor acrescenta, ainda, que a população esteja atenta a possíveis golpes que podem vir a surgir com a oferta de imunizantes. “Qualquer denúncia que chegue à Segup será averiguada, sejam relatos apontando furtos, estelionato, peculato, apropriação indébita ou outros tipos de crimes. Todos estes possuem pena que variam de quatro a cinco anos, podendo o período ser até maior”, disse.

Fases da vacinação

  • 1ª Fase: trabalhadores de saúde; pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.
  • 2ª Fase: profissionais da segurança pública na ativa; idosos a partir de 60 anos de idade; e povos e comunidades tradicionais quilombolas.
  • 3ª Fase: indivíduos que possuam comorbidades (doenças como diabetes, hipertensão e obesidade);
  • 4ª Fase: trabalhadores da educação; Forças Armadas; funcionários do sistema penitenciário; população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top