Conecte-se conosco
Foto: Reprodução / Fonte: Agência Pará

POLÍCIA

Número de incêndios em imóveis cai 7% no Pará

Casas de alvenaria e madeira continuam no topo da lista de casos. 90% dos incêndios poderiam ser evitados diz Corpo de Bombeiros Militar

O paraense está vivendo o inverno amazônico, mas nem por isso as atenções básicas com a prevenção contra incêndios dentro de casa devem ser deixadas de lado. Pequenos descuidos podem evitar perdas irreparáveis. 

Dados comparativos dos anos de 2019 e 2020 mostram que o número de incêndios em edificações caiu quase 7%. Passou de 954 casos há 2 anos para 890 no ano passado. Os imóveis de alvenaria continuam sendo os mais atingidos. 

Segundo o Major do Corpo de Bombeiros do Pará, Pablo Oliveira, grande parte das ocorrências registradas no Estado poderiam ser evitas. “É importante que, quem tenha aparelhos elétricos, como centrais de ar e ventiladores , dêem manutenção nesses equipamentos. Se, por um acaso, eles não tiverem em condições de uso, não se deve insistir em utilizar, já que eles causam risco elevado. Em alguns caso, eles trazem mais riscos do que benefícios.”

Mas o perigo não está apenas nas instalações elétricas. O Major reforça que outros elementos comuns nas residências precisam de atenção. “A mangueira do gás de cozinha, por exemplo, não deve ter conexões. A manutenção deve ser periódica. Velas também devem ser evitadas. Quando a utilização for necessária, o local deve ser aberto e longe de superfícies que propaguem o fogo, como cortinas”, enfatizou. 

Com a pandemia, o álcool em gel passou a fazer parte da vida das pessoas, mas além do benefício que ele traz (elimina o coronavírus nas superfícies) é um produto perigoso, pois é de fácil combustão e propagação de fogo.

Para a Jornalista Danielle Bastos, esse elemento novo em nossas vidas representa mais rigor e cuidados dentro de casa. “Os líquidos eu deixo fora do alcance das crianças. Não deixo o mais velho usar o fogão ainda. Então o fósforo fica longe do alcance deles”.

As crianças a quem ela se refere são seus filhos: Davi Bastos, de 9 anos e Raquel, de 9 meses. Para evitar acidentes, ela conta que segue algumas dicas à risca. “Evito velas em casa, aquela fivela do botijão eu desligo também pra não correr o risco de vazar gás. As tomadas têm aquela proteção para a Raquel não meter o dedo e não pegar choque. Oriento o Davi a não mexer no fogão e nem no forno”, explicou. 

Com toda essa atenção, felizmente, Danielle nunca teve qualquer tipo de ocorrência deste tipo dentro de casa. E pra continuar assim, separamos algumas orientações que são eficazes na prevenção: 

Em tempestades, tire os eletrônicos das tomadas: se notar que a chuva está forte e que os raios estão constantes tire todos os aparelhos das tomadas. Isso evita que descargas elétricas danifiquem  aparelhos eletrônicos e, é claro, que incêndios ocorram.

Micro-ondas não é geladeira: Algumas pessoas não sabem, mas alguns itens não podem ser levados ao micro-ondas. Papel alumínio e potes de alumínio, ferro ou qualquer outro metal não devem ser levados ao eletrodoméstico. Isso pode causar incêndios na cozinha. 

Atente-se ao ferro de passar roupa: Outro grande motivador dos incêndios domésticos são os ferros de passar. Nunca esqueça ele quente e em cima de roupas ou da própria tábua de passar. A alta temperatura pode causar incêndios.  

Serviço: Se ainda assim você precisar do Corpo de Bombeiros Militar, ligue 193. No Pará existrm 36 quartéis operacionais que atendem todo o Estado. 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top