Conecte-se conosco
Foto: Reprodução / Fonte: Correio Paraense

ECONOMIA PARAENSE

Administradores – 4 desculpas comuns para não empreender

A nossa mente consciente quer nos proteger. Ela é especialista em criar desculpas para não empreender.

A nossa mente consciente é racional e orientada para nos proteger das situações arriscadas. Uma das responsabilidades dela é nos ajudar a discernir uma situação segura de outra perigosa. Quando tomamos uma decisão receosa, ou temerosa, podemos criar inúmeras justificativas lógicas para nos conformar com a situação. A maior problemática acontece se, com o passar do tempo, o indivíduo se arrepende de não arriscar, ou não empreender. Alguns ainda acreditam que, com o passar do tempo, fica cada vez mais difícil. Por isso, vale a pena conhecer as quatro desculpas mais comuns para não empreender: closevolume_off

1. “Não tenho dinheiro”. Essa é a desculpa mais comum. Para empreender, você precisa começar com uma demanda, ou com vendas. Claro que precisa de uma boa solução e competência para entregar o que vende. Não precisa, necessariamente, do dinheiro. Flávio Augusto da Wise Up começou sem capital, inclusive, devendo dinheiro no cheque especial para o Banco. Ele sabia exatamente o que queria vender e quem desejava comprar. Não obstante, se o seu negócio tiver potencial de crescimento, será capaz de atrair investidores e crescer, ainda que você tenha pouco, ou não tenha capital.

2. “Não tenho tempo”. Muita gente dá essa desculpa. Joanna Valério, Ilana Horta e Vinícius Gondim tinham jornada tripla conciliando trabalhos pessoais, família (como todas as pessoas) e um empreendimento em sociedade. Juntos, criaram o Drive Me Safe, uma plataforma de viagens que tem apenas motoristas mulheres e mães cadastradas. Dessa forma, os usuários se sentem seguros contratando esse modelo de transporte para as crianças e adolescentes.

3. “Sou velho demais”. Quando se tem mais idade, é interessante aproveitar a maturidade, a experiência e a resiliência. Um exemplo inspirador foi o de Luana Davidsohn, que fez cursos de culinária, panificação, confeitaria e trabalhou em padarias. Em São Paulo, inaugurou a primeira loja da Confeitaria da Luana. Ela se uniu às filhas que agregam no Marketing e nas Finanças, abrindo mais duas lojas. Hoje, atendem mais de 10 mil encomendas para mais de 4 mil clientes.

4. “Não tenho experiência”. Empreender pode ser a sua primeira melhor experiência. Davi Braga, com 13 anos, fundou a List It (atual Eskolare) , facilitando a compra de material escolar de quem perde tempo e dinheiro com essas compras no início de cada semestre. Com 16 anos, o empreendedor escreveu o livro “Empreender Grande, Desde Pequeno”. Davi encara o empreendedorismo como um estilo de vida.

O medo sempre existirá na nossa vida, mas não pode nos paralisar. Se você tem uma ideia ou modelo de negócio para construir, procure orientação, treinamento, informação e se prepare para arriscar. Se você errar, aprenderá e poderá tentar novamente. Se acertar, poderá crescer e ajudar outras pessoas. Vale a pena você refletir com o pensamento de Benjamin Disraeli: “uma sociedade só será capaz de evoluir quando os homens de bem tiverem a audácia dos corruptos.”

Por: Marcelo Sousa

É proprietário da Enterprise Coaching e possui mais de 5.000 horas de Coaching e Treinamentos Empresariais. Criou a Enterprise Hunting e a metodologia de Atração e Seleção de Pessoas de Alta Performance. Professor de Pós Graduação da

FACI Wyden. Fundou o Movimento 50+ Start, promovendo o Empreendedorismo Maduro e a Reinvenção do Trabalho 50+.

Cursa o Mestrado em Administração na UNAMA. É certificado como Professional & Self Coaching pelo IBC. Analista Comportamental pelo BCI. MBA em Desenvolvimento e Gestão de Pessoas pela FGV. Administrador pelo CESUPA.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top