Conecte-se conosco
Foto: Reprodução / Fonte: O Liberal

ECONOMIA

Segundo Dieese, o preço de combustíveis já está mais caro no Pará, antes mesmo do reajuste

Os novos preços da gasolina e do óleo diesel anunciados pela Petrobras nesta quinta-feira (18) passam a valer nesta sexta-feira, 19, com alta de 5% e de 8%, respectivamente, no Pará e nos demais Estados do país. Um levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), no entanto, mostrou que os preços desses produtos já são altos no território paraense.

De acordo com as análises, feitas com base nos dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a gasolina vendida nos postos de combustíveis do Pará custava, em média, R$ 4,06 na última semana, podendo variar de R$ 3,64 a R$ 5,33, dependendo do local. No mês passado, mesmo com recuo no preço médio do litro da gasolina, o Pará ficou em quarto lugar no ranking dos mais caros da região Norte, e o quinto mais caro do país.

Em Belém, segundo a pesquisa, a média de preço encontrado pelo litro da gasolina na semana passada foi de R$ 3,99, variando entre R$ 3,86 e R$ 4,29. No mesmo período, entre os municípios paraenses, o que vendeu a gasolina mais cara foi Parauapebas (R$ 4,77), seguido de Altamira (R$ 4,71), Conceição do Araguaia (R$ 4,49), Abaetetuba (R$ 4,47) e Redenção (R$ 4,36).

Quanto ao óleo diesel, os estudos do Dieese apontam que o produto vendido no Pará continua entre mais caros do país – em maio, foi o terceiro com maior valor em todo o Brasil. Na última semana, a média de preço nos postos foi de R$ 3,36, podendo ser encontrado entre R$ 2,88 e R$ 4,09.

Já na capital paraense, o óleo diesel custava, em média, R$ 3,62, com preços variando entre R$ 2,89 e R$ 3,99. Nos outros municípios do Pará, o que vendeu o litro de óleo diesel mais caro no período foi Parauapebas (R$ 3,90), seguido de Alenquer (R$ 3,86), Altamira (R$ 3,84), Abaetetuba (R$ 3,66) e Belém (R$ 3,62).

Conforme explica o advogado Pietro Gasparetto, porta-voz do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Pará (Sindicombustíveis-PA), o motivo para a oscilação do preço do combustível na refinaria é a variação do preço do petróleo no mercado internacional e também os valores do dólar. “Desde 2017, a Petrobras adotou a política de paridade de preços com o mercado internacional, então as oscilações do petróleo refletem no preço no mercado interno”, diz.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda
To Top