Conecte-se conosco

SAÚDE

É fake que médico paraense descobriu a hidroxicloroquina

Notícia falsa volta a circular nas redes sociais dizendo que o paraense Gaspar Vianna teria inventado a hidroxicloroquina

Foto: Reprodução / Fonte: Com informações do Portal R7

São falsas as notícias que circulam nas redes sociais de que o médico paraense teria sido o descobridor da hidroxicloroquina, medicamento que está sendo pesquisado para uso no combate à covid-19.

Gaspar de Oliveira Vianna (1885-1914) foi um importante médico brasileiro, tendo estudado a anatomia patológica da Doença de Chagas (ele trabalhou diretamente com o médico Carlos Chagas), e ainda descreveu a nova espécie de leishmania, responsável pela doença conhecida como úlcera de Bauru ou leishmaniose tegumentar americana.

Gaspar morreu com 29 anos, vítima de tuberculose contraída durante suas pesquisas sobre o ciclo evolutivo do Tripanosoma cruzi, responsáel pelo Mal de Chagas. Não há nenhuma referência em sua biográfia de estudos sobre cloroquina.

E nem teria como haver. A hidroxicloroquina só foi sintetizada pela primeira vez em 1934 pelo cientista austríaco Hans Andersag, portanto 20 anos após a morte do brasileiro. Além disso, a hidroxicloroquina, uma variação menos tóxica da cloroquina foi sintetizada em 1946, mais de 30 anos após a morte de Vianna. Também por isso não teria como ser usada no combate da Gripe Espanhola (1918-1920), como sugere o texto que circula nas redes sociais.

Biografia

Veja a biografia de Vianna no site do Instituto Oswaldo Cruz:

“Nascido em Belém, em 11 de maio de 1885, iniciou seus estudos no Pará, onde obteve o grau de bacharel em ciências e letras e o título de agrimensor.
Mudou-se para o Rio de Janeiro a fim de estudar medicina. Ao término do curso apresentou a tese intitulada “Estrutura da célula de Schwann nos vertebrados”, doutorou-se em 1909. Neste ano, Oswaldo Cruz convidou-o para assumir a direção da Secção de Anatomia Patológica do Instituto de Manguinhos.

Conquistou em 1913 o título de livre docente em Anatomia Patológica, na Faculdade de Medicina e Farmácia do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, foi nomeado, interino, para reger a cadeira de Histologia Normal da Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária do Ministério da Agricultura.

Dedicou-se ainda aos estudos da anatomia patológica da doença de Chagas e verificou fatos novos no ciclo evolutivo do Tripanosoma cruzi. Estudou os Trypanosoma gambiense, T. equinum, T. equiperdum e T. congolense. Gaspar Vianna ainda descreveu nova espécie de Leishmania, denominando-a braziliensis, em 1911, responsável pela úlcera de Baurú ou leishmaniose tegumentar americana.

Em 1912, ele propõe tratamento específico pela injeção venosa do tártaro emético, hoje já não mais empregado. Ele ainda descobriu um espiroqueta encontrado em sangue de gambá e o tratamento para o granuloma venéreo tropical.

Gaspar de Oliveira Vianna faleceu a 14 de julho de 1914.”

Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Copyright © 2021 Correio Paraense todos os direitos reservados.